[Resenha] Rota 66 - Caco Barcellos


Bom Dia! Hoje temos a primeira resenha refeita do ano, essa é uma das resenhas que tiveram mais visualizações em dezembro, o que é bem legal já que ela foi escrita e publicada originalmente em abril de 2015 aqui no blog. Como ela tem bastante visualizações eu resolvi reescreva-la já que a minha forma de construir resenhas melhorou muito desde que ela foi publicada.

Rota 66 foi um livro que eu li em 2015 quando ainda estava cursando Jornalismo e ele era uma das leitura obrigatórias do curso para o primeiro semestre, talvez por isso ele ainda tenha tantas visualizações, quem sabe não são universitários desesperados que estão buscando resumos na internet e se deparam com a minha resenha kk' 

 Dados do Livros
Rota 66Titulo: Rota 66
Autor: Caco Barcellos
Quantidade de Páginas: 350
Editora Record
ISBN: 9788501065261
Gênero: Literatura Nacional / Não-Ficção / Reportagem Investigativa
Ano: 2003
Skoob: Clique Aqui
Sinopse: Rota 66 - Dedo na ferida.
Obra do mais respeitado repórter policial do país, autor do livro – Rota 66 – que abalou os alicerces da PM paulista.

O jornalista Caco Barcellos investigou durante cinco anos o esquadrão da morte que agia na cidade de São Paulo.

Ele mostra como é o sistema de extermínio e seus métodos de atuação e como o sistema incentiva esse tipo de ação.

Resenha:
No livro Rota 66 temos a investigação feita pelo jornalista Caco Barcellos sobre 22 anos de atuação da Policia Militar, que vão de sua criação em 1970 ao ano 1992, e a partir de dados colhidos pelo jornalista que vai construindo com eles sua narrativa somos convidados a conhecer mais sobre a "matança" causado pela policia que tinha sob suas mãos a pena de morte e a aplicava sem dó em quem jugasse necessário, sem serem punidos pelas mortes que causavam e ainda tendo seus atos julgados como atos de bravura.

Com a dura ação da policia que sempre contavam em sua versão oficial que as mortes eram causadas em trocas de tiros onde foram forçadas a revidarem e assim causavam a morte dos "criminosos", e que ainda em um último gesto de misericórdia os levavam aos hospitais mais próximos para serem socorridos, estava escondido as verdadeiras historias de crueldade como mostra a investigação de Caco. A maioria dos mortos pela PM eram trabalhados que nunca antes haviam cometido um crime se quer, mesmo sem serem retratados pelos seus conhecidos como violentos eram mortos com tiros na cabeça e peito e as evidencias não apontavam para que estivessem armados, tornando no minimo questionável as versões de troca de tiros dadas pela PM.

"Se a história que os PMs estão contando na delegacia é verdadeira, nada justifica a retirada irregular das armas da esquina do crime, antes da chegada da perícia. A não ser a intenção de dificultar o início de uma possível investigação científica." Página 80

Entre as diversas fontes buscadas nessa investigação temos as historias contadas pelas famílias das vitimas, que muitas vezes até mesmo estavam presentem durantes os ataques e mortes, mas por medo de represálias não denunciavam e quando uniam-se de coragem para denunciar eram totalmente ignorados. A partir dessa e de outras fontes Caco criou um banco de dados com as informações dadas pela família e as encontradas em jornais onde estavam as versões oficiais, nelas ele podem percebem que o numero de mortos pela PM eram maiores que muitas guerras civis registradas na Historia.

"Observações e entrevistas feitas no pátio do necrotério formam, desde já, uma das fontes de pesquisa." Página 88

"O saldo da matança da PM, somente até 1975, já é maior, portanto, que o número de mortos e desaparecidos políticos durante todo período de 21 anos de ditadura militar." Página 89

A leitura é no minimo revoltante, mesmo já tendo escultado de pessoas mais velhas historias dessa época, onde por medo saiam sempre com sua carteira de trabalho na mão para caso necessário comprar que eram trabalhados em uma abordagem policial, eu não esperava que a forma que a PM agia fosse tão cruel e que os números de mortos fossem tão imensos, especialmente as causadas pela ROTA. Tornando tudo ainda mais revoltante podemos ver que no perfil dos jovens assassinados um grande preconceito, a maioria eram pobres e imigrantes, que eram postos de lados pela sociedade e autoridades.

"Escolhem suas vítimas a partir de uma simples desconfiança." Página 97

"Nesta fase da investigação o número de mortos civis era comparável ao de uma guerra." Página 153

"Homem jovem, 20 anos. Negro ou pardo. Migrante baiano. Pobre. Trabalhador sem especialização. Renda inferior a 100 dólares mensais. Morador da periferia da cidade. Baixa instrução, primeiro grau incompleto." Página 168

Por ser uma investigação da Policia de São Paulo durante a leitura eu consegui conectar os fatos e cenários de crimes a diversos bairros conhecidos, como também identificar políticos que incentivavam essa prática que para eles estavam limpando a cidade de criminosos.

Durante a leitura somos apresentados a alguns policiais que foram julgados e condenados pelos seus crimes, mas esse numero é infinitamente menor do que o dos envolvidos neles, e isso se justifica durante a leitura pois esses crimes eram julgados pelos próprios militares que incentivavam essa matança, assim os punidos eram raros e a impunidade imperava.

Assim essa é uma leitura obrigatória para quem quer conhecer um pouco mais da época em que seus pais e avós eram jovens e a violência que era causada por aqueles que deviam protege-los. Mas tenha em mente que sem duvida você terminará ela revoltado por toda essa impunidade e chocado pelo número de jovens que foram mortos sem merecerem e que suas famílias não puderam ver a justiça por suas perdas.

Onde Comprar: Amazon - Saraiva - Americanas - Submarino

30 comentários:

  1. Jéssica, eu já li várias resenhas sobre esse livro e, a cada vez que leio, fico mais curiosa ainda sobre ele.
    Já está na minha lista de desejados e quero ler na primeira oportunidade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra, realmente é um livro bem legal, o Caco conseguiu trazer sua reportagem de uma forma que não ficou chato de se ler *-*

      Excluir
  2. Olá Jessica, tudo bemm? Apesar de parecer um livro bem interessante Rota 66 não faz bem meu estilo de leitura, por isso vou deixar a dica passar. De qualquer forma amei a sua resenha bem estruturada e informativa. No aguardo da suas próximas dicas. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Faby, na verdade ele também não faço o meu estilo de leitura, mas adorei lê-lo e conhecer um pouco da historia por trás da Rota e da PM de São Paulo. Uma pena que você não tenha ficado curiosa para lê-lo.

      Excluir
  3. Gostei da sua ideia de relançar resenhas que fizeram muito sucesso aqui, mas infelizmente apesar da linda resenha, o gênero não faz minha cara, na verdade não me vejo lendo o livro, pelo menos não por hora, mas quem sabe futuramente. Bela resenha.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Karina, acho que minha escrita mudou bastante desde que algumas resenhas foram lançadas, a um/dois anos atrás, e por isso trazer elas de volta "melhoradas" acaba sendo uma coisa legal, além de eu relembrar algumas boas leituras que fiz =) Uma pena que o livro não tenha te deixado curiosa.

      Excluir
  4. Eu acho livro interessante, como tematica. Porém, como leitura, já não entra muito no meu gosto literário. Parece uma narrativa cansativa, que não vai me prender muito.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Débora, na verdade o autor conseguiu manter uma narrativa bem fluida alternando fatos com a historias de alguns personagens que sofreram nas mãos da PM da época.

      Excluir
  5. Oi! Muito legal você ter resenhado esse livro, sou estudante de jornalismo (indo para o 3º semestre) e ainda não tive nenhuma leitura obrigatória, mas caso esse apareça na lista algum dia já vou ter uma boa base do que se trata.
    Particularmente, nunca gostei de pena de morte. Também não confio nesses policiais, sempre tem muita coisa por trás de tudo e é isso que eu AMO em jornalismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda, na minha faculdade tínhamos algumas leituras obrigatórias nas matérias relacionadas a literatura e esse se não me engano ainda é uma das leituras para o primeiro semestre, mas acho que deve mudar bastante a grande de uma faculdade para outra =) Essa é uma parte que eu também adoro desta profissão, buscar a historia por trás dos fatos *--*

      Excluir
  6. Oi
    Parabéns pela resenha ser a mais visualizada.
    Eu não gosto de jornalista da Rede Globo, também tenho asco pela emissora, mas sua resenha me deu curiosidade, confesso. Leria apenas por sua resenha, pois se visse o livro numa prateleira, nem chegaria perto. Gosto quando as resenhas me fazem rever conceitos, não é á toa que essa é a mais vista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lilian, eu também não curto o jornalismo da Rede Globo, na verdade eu nem assisto TV aberta, mas mesmo ele conseguiu fazer uma reportagem muito boa que precisou de anos de pesquisa e deve ser reconhecido por ela =) Fico mega feliz que a minha resenha tenha feito você ficar curiosa por ele e mudado a ideia que você tinha *--*

      Excluir
  7. Olá,

    Não conhecia o livro, mas achei a temática bem interessante. Fiquei curiosa para conhecer toda essa atmosfera tensa que permeia o livro e futuramente pretendo dar uma chance.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Viviane, leia sim, você vai adorar como o autor conduziu sua investigação =)

      Excluir
  8. Oiie!

    Adorei a resenha. O livro me pareceu até interessante, apesar de não fazer meu estilo de leitura :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lipe, uma pena que ele não seja o seu estilo de leitura =/

      Excluir
  9. Oi! Eu não conheço o trabalho do Caco como jornalista (embora eu queira ser uma #quevergonha), mas esse livro até que me interessou. Essa relação de policia X moradores é sempre muito complicada :( Valeu pela dica! Flores no Outono 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alexia, eu estudei um pouco sobre ele no meu primeiro semestre de jornalismo e ele tem reportagens e textos bem legais =) A relação que o autor estabeleceu mostrando esse conflito ficou bem dinâmica, tenho certeza que vai gosta da leitura.

      Excluir
  10. Eu acho incrível o trabalho do Caco Barcellos, embora eu não o acompanhe com tanta frequência. Esse livro parece mais bastante interessante e polêmico. Se eu for cursar Jornalismo mesmo, essa leitura provavelmente me aguarda haha.

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joyce, tomara que você de uma chance para lê-lo, ele fez uma investigação incrível que deu origem a esse livro.

      Excluir
  11. Oi Jéssica, o livro parece muito instigante! É uma temática interessante tanto para os estudantes de jornalismo quanto para qualquer pessoa, mas talvez eu não o lesse no momento. Sua resenha ficou excelente! Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mayara, uma pena que não tenha te atraído tanto a ponto de você se interessar para lê-lo...

      Excluir
  12. Oie
    muito legal o tema do livro, e bem polêmico, assim que eu gosto hahahha parece ser uma leitura bem interessante para nos fazer pensar, não conhecia mas a dica esta anotada

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Catharina, o tema é bem polêmico mesmo, mas também bem necessário de discutir.

      Excluir
  13. Olá,
    Desconhecia a obra mas de cara fiquei bem interessada para fazer a leitura.
    Com certeza é um pouco revoltante toda essa matança sem nem ter justiça por elas e os familiares vivenciarem tamanha impunidade.
    Gosto muito das reportagens que já acompanhei do Caco e acredito que ficarei surpresa com todo o conteúdo que ele reuniu.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Michele, tenho certeza que você vai ficar encantada com toda a investigação que o Caco fez para construir a narrativa, é bem revoltante, mas ao mesmo tempo é muito bacana de conhecer esse pedaço da historia.

      Excluir
  14. Oi, Jéssica. Tudo bem?
    Eu nem sabia que o Caco Barcellos tinha escrito esse livro, guria. Eu curso história e junto com o pessoal da sociologia e da filosofia a gente debate muito sobre as ações da polícia militar em tempos em que o fascismo só volta a crescer. Com certeza quero ler a obra.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roberta, esses debates devem levantar pontos bem interessantes *-* Enfim, espero que você o leia sim, vai adorar a pesquisa que o Caco fez para compor ele.

      Excluir
  15. Olá,
    Se fosse um livro de ficção eu leria, mas não gosto de quando é algo que real. Mas parece um ótimo livro do gênero.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Debyh, uma pena que você não curta livros deste estilo =/

      Excluir

Regras para os Comentários:

- Seja educado e não use palavras de baixo calão;
- Comentários hostis e racistas serão excluídos;
- Deixe o link do seu blog, pois retribuo todos os comentários;