{Resenha 207} A Batalha do Apocalipse - Eduardo Spohr


Bom Dia! Hoje temos a primeira resenha da mais nova colaboradora do blog Julia, mas uma colega de faculdade que veio fazer trabalho escravo resenha aqui no blog \o/ A Ju tem um gosto um pouco diferente e vai trazer livros com batalhas, guerras e momentos épicos para vocês conhecer e sua primeira escolha foi o livro nacional A Batalha do Apocalipse.

Dados do Livros
Titulo: A Batalha do Apocalipse
Autor: Eduardo Spohr
Quantidade de Páginas: 588
Editora Verus
ISBN: 9788576860761
Gênero: Literatura Nacional / Fantasia
Ano: 2012
Skoob: Clique Aqui
Sinopse: Há muitos e muitos anos, há tantos anos quanto o número de estrelas no céu, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final.

Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas, o dia do despertar do Altíssimo. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo.

Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heroicas, magia, romance e suspense.

Resenha:
E se depois de anos da batalha que levou Lúcifer para o exílio devido a sua rebeldia, Deus decidisse dormir para poder conseguir restaurar o equilíbrio do universo e os Arcanjos tomassem conta da humanidade. Pois então esse é o cenário de A Batalha do Apocalipse.

Deus está em seu retiro para conseguir achar um jeito de guiar ainda melhor a humanidade e os Arcanjos comandados por Miguel estão observando os humanos e dedilhando com cuidado nosso destino. Deus criou a terra em seis dias e os anjos dominavam junto a Lúcifer o mundo até o fim do sétimo dia.

Cansado de ver o ser humano como um grande potencial sendo jogado no lixo e o nome de seu senhor manchado, ele se cansa e avisa aos outros que chegou a hora do Apocalipse. Miguel lidera outros Arcanjos conhecidos como Rafael e Gabriel para acabar com a humanidade.

Cansado dos desmandos e das maldades praticadas por Miguel, o querubim Ablon reuni forças com outros dezessete anjos de castas abaixo dos Arcanjos responsáveis pelo mundo. Essa revolta custou a vida de praticamente todos, menos o querubim que teve suas asas manchadas de sangue e se viu condenado a viver na Terra e observar o quão auto destrutivo o ser humano poderia ser.

Vendo a Babilônia e chegando ao fim do Império Romano. Constantinopla, a Idade das Trevas e finalmente vendo a guerras que foram geradas pelos arcanjos única e exclusivamente por ciúmes. Sim, ciúmes, pois os humanos era os únicos a receberem a dadiva divina do livre arbítrio e da liberdade propriamente dita. Ablon tenta de varias maneiras impedir que o Apocalipse chegue, temendo que assim os anjos percam aquilo que tem de melhor que é a bondade e a justiça.

Miguel e Ablon vivem se enfrentando apenas para conseguir destruir ou salvar os humanos. Magia, deuses, fé, amizade e amor serão colocados a prova o tempo todo e até mesmo aquele que é considerado o pior por todos pode se mostrar algo que vai além da compreensão pura e simples. Mesmo os anjos tem seus conceitos de amizade e amor, talvez seja por isso que ver a redenção de alguns desses personagens no inicio dessa trilogia seja tão gratificante e ao mesmo tempo intensa.

Ainda nesse palco de disputas entre bem e mal, o universo dos anjos começa a ser criado de forma incrível e até mesmo nos faz crer que realmente possa ser algo do gênero. Os fatos históricos são narrados com cuidado e suas leves alterações são única e exclusivamente para encaixar-se ao enredo. Um livro nacional incrível e para muitos polemico justamente por colocar a prova aquilo que para muitas pessoas é sua fé e religião.

Esse livro deve ser lido quando busca algum gênero de fantasia com uma trama intensa e recheada de nem tudo é o que parece ser realmente. Talvez aqueles que tem uma fé muito forte ou um crença muito presente no dia a dia não goste desse livro justamente por ele questionar certos preceitos. No mais é um inicio de trilogia intenso e que te coloca em um debate moral e surreal com sua consciência.

Onde Comprar: Amazon - Americanas - Submarino - Saraiva
Resenha por:

Um comentário:

  1. Olá, Jess! Bem-vinda, Julia!
    Já passei várias vezes pelo exemplar de Batalha do Apocalipse na biblioteca e nunca sequer li a sinopse. Agora, senti uma vontade louca de lê-lo. Adoro essas coisas que questionam a realidade, principalmente se tratando da religião. É algo que me cativa muito devido a minha miscelânea de crenças com as quais cresci. Mal posso esperar pela agarrar o exemplar na próxima vez que for a biblioteca! E estou ansiosa per mais resenhas da Julia, adoro os temas.

    beijos,
    www.nerd-absoluta.blogspot.com

    ResponderExcluir

Regras para os Comentários:

- Seja educado e não use palavras de baixo calão;
- Comentários hostis e racistas serão excluídos;
- Deixe o link do seu blog, pois retribuo todos os comentários;